Clima de "sofrência" no ar! Sony, Warner e Universal Music bem BOLADINHAS por suas músicas perderem espaço nas playlists do Spotify!

 
 
Captura de Tela 2018-07-17 às 11.20.16 AM.png
 

Hey!!

Deu no Digital Music News e no Business Insider

Sony Music, Universal Music e Warner Music perdem espaço dentro das principais playlists do Spotify.

Em português bem claro as BIG 3 estão bem putas da vida!! 

E o mundo independente agradece! 

 

Tenho narrado essa novela em textos anteriores, mas esse capítulo é o mais engraçado até aqui. 

Imaginem as gravadoras pagando jabá para o Spotify... 

Rindo alto! 

Talvez isso não aconteça mas o tipo de deal que foi feito até aqui com certeza irá mudar. 

Parece inacreditável, mas mesmo sendo líder do mercado com 170 milhões de ouvintes globais, a plataforma acumula perdas enormes ano à ano justamente por já ter gasto mais de  10 bilhões de dólares com royalties. 10 BILHÕES DE DÓOOLAAAARES!!!!!!!! 

 

Para as BIG 3 estava tudo MARAVILHOSO! 

Recebiam fortunas de royalties, tinham um cut do negócio e ainda exigiam seus principais artistas nas maiores playlists da plataforma. 

Daniel Ek, fundador e mentor da empresa, sabia que sua capacidade de negociação seria mínima se não existisse escala e alguma moeda de troca MUITO FORTE para colocar o pau na mesa.  

Enquanto isso ele investiu pesado em tecnologia comprando as empresas Niland, Mediachain Labs, MightyTV, SonalyticEcho Nest e trouxe O CARA da Netflix, Barry McCarthy, para tocar a empresa ao seu lado.  

 

Hoje, com uma combinação incrível de curadoria humana e algoritmo, as  Playlists do Spotify mudaram a forma como as pessoas escutam música. 

Se as BIG 3 tem o conteúdo, o Spotify tem algo igualmente valioso: Big Data, Inteligência Artificial e Machine Learning. 

 

Quem vence esse cabo de guerra??? 

Assim como Steve Jobs colocou a indústria no bolso quando lançou o itunes, Daniel Ek fará o mesmo. Me desculpem mas o QI desse povo que aprende código com 5 anos é ANIMAL! 

Por muito menos vimos as grandes empresas varejistas ditando as regras da partida e a nossa combalida indústria dando a pata e balançando o rabinho. 

 

Gravadoras ainda usam métodos arcaicos para divulgar seus produtos, PAGAM MILHÕES DE JABÁ para repetir suas falidas músicas de trabalho nas rádios e com resultados cada vez mais medíocres.  Até os ciclos de lançamento são os mesmos... 

O SPOTIFY por sua vez, criou um algoritmo azeitado capaz de tirar um artista do anonimato e joga-lo no topo SEM GASTAR UM ÚNICO CENTAVO de mídia externa. Playlists como o  Spotify's RapCaviar, com seus 9.6 milhões de seguidores, já estouraram diversos artistas nos últimos anos. 

 
 

 

São as playlists que nos guiam por entre gêneros, subgêneros, moods, submoods e nos dão uma maravilhosa sensação de que algo foi cuidadosamente escolhido para nós e nos economizam um baita tempo. Quem é do mundo das start-ups sabe que a fórmula praticidade, usabilidade, curadoria e "customização" é sempre imbatível. 

 

E tem mais... 

Faixas que estavam completamente esquecidas e jogadas ao limbo da história voltaram a gerar receita. Listas como 90's, 80's70's, 60's e afins trouxeram centenas de canções de volta para o cotidiano das pessoas. 

E como o processo de recomendação é pra lá de "atemporal", uma outra mágica acontece:

Músicas antigas se transformam em "NOVAS" semanalmente em playlists como Discover Weekly.

Tem molecada descobrindo Beatles, Stones, The Cure e gente na casa dos 50/60 se encantando por Cold Play, Bruno Mars numa ciranda maluca e muitas vezes improvável. 

O rolê é bem louco! 

Hoje o Spotify tem 170 milhões de ouvintes organizados em silos tão precisos que logo logo se transformará em uma máquina de vendas. 

Vamos aguardar! 

 

Pra quem quiser acompanhar outros textos sobre o mesmo assunto é só clicar abaixo. 

Spotify x Majors: 

SPOTIFY JÁ COLOCA AS MANGUINHAS DE FORA E PREPARA O BOTE.

SPOTIFY DÁ O SEU PRIMEIRO BOTE! APERTEM OS CINTOS QUE O PILOTO SE CHAMA DANIEL EK

 
 

Valeu!

Clemente Magalhães!