Será que só a Anitta entendeu o que está acontecendo??

 
10-anitta (1).jpg
 
 

 

Hey!

Há mais ou menos 2 meses atrás, escrevi um texto POLÊMICO falando sobre a Anitta chamado "ENQUANTO CAETANO VELOSO E GRANDE PARTE DOS MEDALHÕES DA MPB LUTAM CONTRA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO NOSSO MERCADO, ANITTA SE APROPRIA DA FORÇA DO STREAMING PARA INVADIR O MUNDO POP" e hoje resolvi falar dela novamente com uma nova abordagem. 

 

Que a Anitta é FODA eu já tenho absoluta certeza mas o que podemos de fato aprender com ela? 

Que lições podemos tirar desse case de sucesso para a nossa carreira? 

Sem a menor pretensão de ser 100% assertivo, vou enumerar alguns pontos que na minha opinião foram fundamentais para o sucesso dela até aqui. Vou aproveitar para inserir alguns conceitos de marketing, fazer algumas críticas e gerar alguns questionamentos. 

Ta?

Vamos nessa! 

 

Em primeiro lugar, Anitta me parece ter muita clareza de quem é como artista, das suas limitações, de onde veio, onde está e onde quer chegar. Isso por si só, já coloca um artista em um patamar completamente diferente e a frente de quase todo mundo.

Hoje existe uma nata mainstream, majoritariamente de "esquerda", que mistura posicionamento pessoal, política e muitas vezes no calor do momento nem sempre as melhores decisões são tomadas. Não existe por exemplo uma preocupação sobre qual é a posição política da maior parte de sua fandom, como um discurso polarizado pode impactar na venda de ingressos e outras ponderações fundamentais que qualquer marca séria faria antes de ir para as ruas se posicionar sobre algo.  Estou falando de política, mas acredito que esse tipo de análise mais técnica deveria ser um padrão em momentos cruciais na construção de uma carreira. 

É aí que artistas como a Anitta tem uma grande vantagem. 

Ela é uma grande auto gestora, administra sua empresa sem hipocrisia e pudor de ser também uma empresária e tem a noção exata do que quer como posicionamento de marca.

Não imagino Anitta cometendo gafes como o nosso REI, vegano assumido,  que comeu um bife da Friboi por dinheiro. 

Ela é do game, pensa como player, formata seu plano de marketing com objetivos específicos e mensura resultados de maneira analítica pra dar os próximos passos.

Naturalmente as coisas andam de uma outra maneira. Né? 

Pensar uma carreira é algo sério, requer frieza e planejamento.

 

Diva Pop

Como todas as divas POP do planeta, a cantora aplica os conceitos de juventude, beleza, empoderamento feminino e sexualidade com primor. Sem renegar suas raízes do funk, ela se apropriou do rótulo POP, que andava gasto por aqui, e o recriou à sua maneira.

 

Em outras palavras, ela ressignificou o tal POP NACIONAL e o transformou em seu reino particular.

Hoje POP por aqui é Anitta e qualquer outra coisa que veio ou vier depois dela será apenas um subproduto.

Como diria Seth Godin, ela criou sua tribo, seu nicho, sua própria cultura e com inteligência soube fazer a curva pra se tornar mainstream. 

 

Anitta mexeu no rosto, mudou seu corpo, colocou sua intimidade para jogo e virou uma referência da menina pobre e "comum" que foi lá e venceu. Essa história te relembra alguma outra?

Pois é...

Esse tipo de mensagem nos remete à tantas outras histórias de sucesso que fizeram ou fazem parte da nossa vida, que sem percebermos tais desejos e associações nos arrebatem pelo caminho. É duro admitir, mas no fundo somos meros receptores manipuláveis nas mãos de narrativas bem construídas.  Aí, sem nem mesmo perceber, já estamos torcendo por um determinado artista, ou personalidade pública, da mesma forma que torcemos por um herói no cinema, pelo anti-herói nos seriados de TV ou até mesmo por um BBB depois de poucos capítulos. 

 

A porra da CULTURA POP DE MASSA é um inferno... 

 Celebridades são commodities, audiências são claramente mercantilizadas em um processo que não termina nunca.

Enquanto celebridades em busca por atenção eliminam as barreiras entre vida pessoal e profissional, pessoas comuns hoje agem da mesma maneira em suas redes sociais... Ficou praticamente impossível distinguir  o que é conteúdo, o que é produto e o que é business. 

Anitta, nasceu na Internet e sabe muito bem como se comportar nesse ambiente de linhas tão turvas. 

 

Credibilidade | Reposicionamento

A cantora tem buscado associações de marca com projetos e artistas que possam dar a ela a única coisa que talvez ainda lhe falta: Credibilidade artística. O programa do Multishow, "Música Boa", é uma prova disso. A cada temporada ela tem a oportunidade de mostrar sua impressionante evolução como cantora se aventurando com maestria em gêneros diversos ao lado dos maiores artistas da música nacional. 

Não acho que esse seja um processo de reposicionamento já sacramentado mas, já se pode notar um meio artístico bastante zeloso na hora de falar mal da cantora. Ela tem sucesso, é uma potente empresária e além de auto gestora, hoje ela administra carreiras de outros artistas.  

 

Colaborações | Awareness

Na busca por expandir sua base de fãs por aqui e em outros continentes, a cantora vem usando uma estratégia bem usada por Youtuber, pelo segmento eletrônico, pela cena hip-hop e no POP americano: Cross-promotion.  

Anitta apostou alto na multiplicidade da nova geração e acertou em cheio. A cantora se uniu com colaboradores de nichos bem específicos do mercado e conseguiu assim abrir frentes bem interessantes no mercado.

Em setembro de 2017, se juntou com Poo Bear para lançar “Will I See You?”, um mês depois lançou “Is That for Me?" com o DJ Alesso. Em novembro do mesmo ano veio ela novamente cantando em espanhol o SUPER HIT “Downtown”, com o Colombiano J Balvin. Em “Vai, Malandra,” Anitta chocou geral com um super close em suas celulites e trouxe pra si o discurso de empoderamento feminino mesmo com o diretor tendo várias acusações de abuso sexual.

O fato é que mais uma vez seu clipe teve uma grande penetração no mercado latino americano. Apesar de não ter chegado ainda no TOP 20 dos charts americanos, ela já conseguiu alguns feitos importantes por lá. Seus primeiros dois singles em Inglês tiveram mais de 100 milhões de visualizações e "Vai Malandra" foi a primeira música brasileira a conquistar o primeiro lugar no Spotify. 

 

Always-on:

Nos artigos mais recentes  "POR QUE ESPERAR TRÊS ANOS PARA LANÇAR UM CD PODE SER UM ERRO FATAL?" e "COMO USAR O SPOTIFY COMO SUA PRINCIPAL FERRAMENTA DE MARKETING?" falei um pouco sobre o assunto. 

Singles são sempre uma nova oportunidade de atrair a atenção das pessoas, não só para o lançamento, mas também para os conteúdos lançados anteriormente. 

Em 99.9% dos acasos existe um pico de atenção para uma determinada faixa e na medida que o tempo passa temos um curva descendente.

É nessa hora que um novo single pode ser fundamental. Ao lançar múltiplos singles Anitta fez um baita barulho, expandiu sua base e por tabela levou e não deixou conteúdos anteriores caírem no esquecimento.

Mas lembre-se: Nada funciona para todo mundo! Tem que existir propósito tanto no campo artístico como nos seus objetivos de carreira. 

Lógico antes disso tudo ser possível ela teve que vender muito, ser a garota dos olhos da sua gravadora e praticamente garantir o emprego do presidente para conseguir empurrar goela abaixo dele um plano tão bem pensado e consistente. Se ela não tivesse a força que tem, NUNCA nada disso teria acontecido. Anitta é seu próprio A&R, seu próprio departamento de marketing e não vai demorar muito para nos referirmos a ela como um Jay Z daqui. 

Mas lembre-se: Nada funciona para todo mundo! Tem que existir propósito tanto no campo artístico como nos seus objetivos de carreira. 

 

Para terminar esse texto vou propor uma reflexão: 

Quando se toca no rádio ou quando se vai à TV para quem estamos falando e para qual objetivo de carreira estamos trabalhando? 

  • Adquirir novos fãs? 
  • Falar com os nossos fãs mais fiéis? 
  • Apenas comunicar ao nosso público que temos um novo produto no mercado? 
  • Fidelizar ainda mais nossa fandom? 
  • Gerar buzz? 

Quando se compra mídia de rádio, se promove um artista na imprensa escrita e se faz TV, existe um custo enorme em uma ação com o objetivo de se falar para "todo mundo". Nesse caso estaríamos falando para uma audiência alocada em algumas fases do funil de consumo mas principalmente a fase AWARENESS.

Logicamente, ao falar com todo mundo é possível que vendas de produtos aconteçam (Conversão), que gere algum boca à boca (Referência) e se o seu trabalho digital for bem feito, isso pode gerar cadastro e um canal direto de comunicação direto com seus fãs mais fiéis a longo prazo (Retenção). Esse ciclo deveria ser uma maquininha dinâmica otimizada para falar com camadas distintas de fãs, com o objetivo final de fidelização e aumento do ticket médio por fã. Esse funil de consumo ou jornada de consumo é algo negligenciado por nossa indústria. Se gasta tempo e dinheiro para falar com "todo mundo" e muito pouco para cuidar da base que o artista já tem. Conquistar novos consumidores sempre custará mais caro... 

 

Se um artista como a minha querida amiga Ana Carolina tivesse uma estratégia de marketing condizente com o seu tamanho seria necessário gastar tanto dinheiro com compra de mídia para simplesmente falar com os fãs que ela já tem? Estamos falando de uma cantora consolidada, com uma fandom fanática e que em tese não precisaria mais gastar tempo e dinheiro para atrair novos fãs e sim se comunicar com eles de maneira direta. Concordam?

 

É bom lembrar que Adele teve uma tour sold out apenas com marketing direto... 

 

No caso da Anitta isso se aplica parcialmente pois ela está claramente em um momento de ampliação de base. Mas se existe um ponto em que eu possa fazer algum tipo de crítica seria justamente referente a fidelização e monetização indireta. Uma base fidelizada, cadastrada e ativada constantemente de forma direta pode manter um artista vivo e potente mesmo em momentos futuros onde talvez não exista mais um pico de atenção em torno dele. Como dizem os americanos e-mail, e-mail, e-mail and then e-mail

                                                PARTE DE UM PLANEJAMENTO DE MARKETING QUE DE UM DOS MEUS CLIENTES

                                                PARTE DE UM PLANEJAMENTO DE MARKETING QUE DE UM DOS MEUS CLIENTES

Por hoje é isso! 

Espero que tenham gostado. 

Tenho feito tudo com muito amor para que possamos juntos navegar melhor nesse novo mercado do entretenimento. 

Um beijo enorme. 

ANITTA É FODA!